domingo, dezembro 31, 2006

O ‘Soul’ fica órfão de seu ‘Pai’...

O mundo perde o ‘Pai do Soul’, ‘James Brown’. Internado no hospital Emory Crawford Long, na cidade de Atlanta, EUA, desde à tarde de domingo (24/12) em decorrência de uma pneumonia, James Brown morre aos 73 anos de idade na madrugada de segunda-feira (25/12)...Extremamente autêntico e irreverente Brown fazia do palco o seu templo e não via o tempo passar em meio as performances que se alternavam entre seu canto e sua dança, ininterruptamente sem apresentar um sinal de cansaço. Clássicos como ‘I Got You (I Feel Good)’, ‘Get Up (I Feel Like Being a) Sex Machine’ e ‘Say It Loud (I’m Black And I'm Proud)’ permanecerão eternamente vivos na lembrança de seus fãs. Sua extensa discografia, com mais de 50 álbuns lançados ao longo de sua carreira, não só influenciou renomes como ‘Michael Jackson’ e ‘Mick Jagger’, como também o consagrou como um dos artistas mais completos do planeta de todos os tempos...

O duro começo: do purgatório a um paraíso com flores de espinhos...

Conhecido também como ‘Mr. Dinamite’, James Joseph Brown Jr nasceu em 3 de Maio de 1933 em um subúrbio de Barnwell (Carolina do sul), EUA. Vindo de um berço paupérrimo e morando em um bairro negro muito violento, ainda muito pequeno, separou-se dos pais juntamente com a tia (Minnie), que liderava um prostíbulo. Deste modo, suas necessidades o obrigaram a desempenhar, ainda criança todos os tipos de trabalhos para sobreviver, chegando inclusive a recolher nas ferrovias restos de carvão que caiam dos trens e, dos cestos de lixo das tendas da cidade, sobras de comida. Cresceu nas ruas de Augusta (Geórgia), onde cantava e dançava nas horas vagas para pagar por sua vaga no quarto de um bordel.Estudou em uma das poucas escolas para negros da época. Alguns professores, percebendo seu dom de cantar, o incentivavam a desenvolve-lo. Tendo as dificuldades financeiras como um dos principais combustíveis para que não desistisse de sua vontade, ingressou no gospel de onde adquiriu grande desenvoltura nos corais da igreja ou cantando para alegrar soldados que passavam por sua cidade, mas abandonou a escola na sétima série e começou a trabalhar colhendo algodão, engraxando sapatos, lavando carros e pratos e fazendo faxina em lojas.Criativo por natureza, as primeiras músicas que compôs apresentavam a mistura entre o gospel e o blues, porém, aos 16 anos de idade, foi preso por assalto a mão armada e cumpriu mais de três anos de detenção num reformatório. Deu a volta por cima, e ao sair da cadeia semiprofissionalizado como pugilista em 1953, integrou-se ao grupo gospel ‘Starlighters’, fato que alterou por completo o estilo da banda – para o blues –, sendo rebatizada mais tarde pelo nome ‘Famous Flames’: o clássico de ‘Please, Please, Please’, composto pelo próprio Brown, os levou, em 1955, ao sexto lugar nas paradas do blues, rendendo a vendagem de quase 1 milhão de cópias. Cabe ressaltar inclusive este sucesso foi o primeiro, dentre os 122 sucessos, que o Sr Brown colocou nas paradas de sucesso, enquanto que somente Elvis Presley, com 149 canções, o superava. O primeiro disco solo, ‘Try Me’ viria três anos à frente, mas sua consagração plena se deu em 24 de outubro de 1962, no Teatro Apollo, no bairro do Harlem (NY), em um grande concerto, que deu origem ao álbum ‘Live at The Apollo’. Seu outro clássico ‘Say it Loud (I'm Black and I'm Proud)’, (Diga Alto, Sou Negro e Orgulhoso), tornou-se hino dos direitos humanos durante os anos 1960 em meio a luta de lideres como o ‘Pr Luther King’ e ‘Marlcom X’. Em ato que soou como contraditório, executou esta música na posse do presidente americano ‘Richard Nixon’, em 1969, fato que prejudicou temporariamente sua popularidade entre os afro-americanos.Acompanhado de sua banda – The Original J.B.s –, em 1970, no auge do ‘Movimento Black Power’, lançou o álbum ‘Funk Power 1970: A Brand New Thang’, que rapidamente decolou com sucessos como ‘Get Up I Feel Like Being A Sex Machine’, ‘Get Up, Get Into It, Get Involved’ e ‘Soul Power’, além de consolida-lo como um exímio ativista em favor da causa dos afro-americanos, fortalecendo sua imagem manchada um ano antes ...Tal qual o pugilista ‘Mohamed Ali’, James Brown bailava por sobre o palco assumindo o total controle da platéia e influenciando milhões com sua dança e seu estilo autêntico de som. Em 1980 participou, como ator, do filme ‘The Blues Brothers’ (Os irmãos cara de pau), estrelado por ‘John Belushi’ e ‘Dan Aykroid’.
Num ato memorável, duas culturas representadas através de seus pais, ‘James Brown’ (Pai do Soul) e ‘Afrika Bambaataa’ (Pai do Hip-hop) encontram-se em 1984 para a gravação do 7” ‘Unity’, sucesso nas pistas do planeta até os dias de hoje. Em 1986, no filme ‘Rock IV’, estrelado por ‘Sylvester Stallone’, além de ter sua música, ‘Living in América’, como tema musical, participou especialmente em uma das cenas em pleno ringue como ilustração de abertura do oponente de ‘Rock Balboa’, ‘Apolo, O Doutrinado’. Mas, nessa mesma época, seu temperamento oscilante o levou a conflitos entre os cantores ‘Prince’ e ‘Michael Jackson’ aos quais considerava seus prováveis sucessores. Ainda em 1986, publicou sua autobiografia, e, como se não bastasse o número de problemas devido o estado emocional, passou a colecionar complicações com a justiça por toda a vida. Um dos episódios mais marcantes, protagonizado por ele mesmo, foi quando ameaçou com um revólver e um rifle um grupo de pessoas que invadiram sua propriedade. Também chegou a ser perseguido pela policia por vários Estados, preso e condenado por porte ilegal de armas e drogas. Em 1988, foi preso por agredir sua esposa e por consumo de drogas. Condenado a seis anos de detenção cumpriu metade da pena.
Uma espécie de antagonismo pairava por sobre a vida do cantor, pois a medida em que suas músicas conquistavam o sucesso merecido, seu envolvimento com a justiça americana também avançava lado a lado... Todavia, em 1991, após sua saída da prisão, ele reconstruiu a carreira interrompida gravando ‘Love Over-Due’, responsável por render-lhe à premiação do ‘Grammy de 1992’. Mas uma nova recaída toma conta da vida de Brown e sua esposa, ‘Adrienne’, vítima de agressão, desesperada, pede ajuda para a polícia e é hospitalizada durante uma madrugada. Novamente detido, dessa vez por violência conjugal, foi liberado depois de algumas horas, mas a notícia de mais uma prisão tomou conta das manchetes dos jornais do dia seguinte.
Em 1996 James Brown perde Adrienne durante uma cirurgia de estética, fato que culminou em mais uma polêmica notícia na imprensa. Fragilizado afundou-se novamente nas drogas e acabou internando-se numa clínica de desintoxição em 1998. Logo após sua saída, contudo, o porte ilegal de drogas e de armas levaram-no, outra vez, à prisão...
Em 2004 foi diagnosticado um câncer de próstata, ocasionando-o a uma cirurgia delicada. Mesmo assim, prosseguiu seus trabalhos intercalando seu tempo entre apresentações e estúdios, como por exemplo, o show em 2005 na Grã-Bretanha e os duetos gravados com ‘Will Young’ e ‘Joss Stone’...
‘James Brown’ será eternamente lembrado pelo ‘Hip-hop’ por ser...
Um dos influenciadores do DJ ‘Afrika Bambaataa’, tanto musicalmente, quanto ideologicamente, na construção de uma Cultura significativa para os jovens de todo o mundo; o influenciador dos primeiros passos da coreografia dos b. boys de Nova York que tentavam copiar seus movimentos em seus shows; o influenciador de alguns passos dos lockers e poppers do sul da Califórnia através do clássico seguido de coreografia específica, ‘Good Foot’; um dos artistas negros mais sampleados pelos rappers, tanto em seus gritos e interjeições, quanto que em sua sonoridade propriamente dita... Descanse em paz Mr Dinamite... Hit Me!TR.Saiba mais:
www.funky-stuff.com/jamesbrown
PUBLICIDADE

::Copyright Zulu Nation Brasil- 2006. Todos os direitos reservados::